São Francisco - Penedo (AL)

Christian Knepper / Embratur

É da bela cidadezinha histórica - e primeiro povoado de Alagoas, fundado no século 16 - que partem os passeios de barco que levam à foz do rio São Francisco, no município vizinho de Piaçabuçu. A viagem dura cerca de 45 minutos, passando por casebres de ribeirinhos e cruzando com muitas jangadas coloridas. Chegando ao encontro do rio com o mar, a paisagem ganha a moldura de dunas douradas que formam um delta salpicado de coqueiros e imensas lagoas de águas azuis. As embarcações ficam ancoradas por uma hora, tempo estabelecido pelo Ibama para cada visita à região. O período é suficiente para subir e descer correndo pelas dunas e nadar nas lagoas, mas deixa um gostinho de "quero mais"...

Negro e Solimões - Manaus (AM)

Raphael Baumberger

Por aqui, a principal atração não é um rio, mas dois! E o encontro deles é um espetáculo único: por seis quilômetros, o barrento rio Solimões corre lado a lado com o escuro rio Negro, sem que as águas se misturem. O fenômeno pode ser observado todos os dias, através de passeios de barco - com sorte, avista-se ainda os botos que vivem na região! O tour, oferecido pelas agências de turismo, dura o dia todo e inclui visita a centros de artesanato indígena, caminhada pela floresta, passeio de canoa pelos igarapés, comunidades ribeirinhas e almoço.

Jacaré-Pepira - Brotas (SP)

Rubens Chiri / FCVB-SP

A principal atração de Brotas é o rio Jacaré-Pepira, que atravessa a cidade com 89% de pureza. São nas suas águas que aventura rola solta, com atividades como rafting - a estrela local - e boia-cross, além de banhos de rio e de cachoeiras - são 11 com infraestrutura pública e quedas que chegam a 60 metros. A Cassorova é o cartão-postal do município, mas quem viaja com os pequenos não pode perder um passeio até a Nascente Areia que Canta: a água brota em meio à areia branca e, quando friccionada entre as mãos, produz um belo e curioso som. Imperdível também é o Parque dos Saltos, com trilhas à margem do rio, quedas d?água, duas pontes suspensas e uma das primeiras usinas hidrelétricas do Estado de São Paulo, já desativada, aberta à visitação - de graça!

Guaíba - Porto Alegre (RS)

Luciano Lanes / PMPA

Na capital gaúcha, um dos mais belos cartões-postais é o rio Guaíba. Uma caminhada em suas margens leva a belos programas como a Fundação Iberê Camargo e a Usina do Gasômetro - desse ponto, aliás, o pôr do sol é digno de palmas! Para os fãs dos passeios de barco, um tour pelas águas do Guaíba leva às ilhas próximas à cidade, passando por uma vila de pescadores que lembra uma praia exclusiva. O passeio dura uma hora e tem como ponto o belo e colorido entardecer.

Caraíva (BA)

Tayse Argôlo / Setur-BA

Uma das poucas - e mais bacana - maneiras de chegar à rústica vila de Caraíva é atravessando o rio Caraíva de barquinho. E o rio é mais que um acesso! Às margens dele, espalham-se pizzarias e bares, como o do Pará, famoso pelo pôr do sol, que fica ainda mais iluminado quando acompanhado de uma caipirinha de caju e um pastel de arraia, carro-chefe da casa. É no rio também que acontece um dos mais deliciosos passeios da região: o de bóia, que leva ao encontro do rio com mar durante a maré vazante. O "delta" formado pelo encontro das águas doce e salgada é um ótimo ponto para curtir a praia (com banhos de rio, claro!) e praticar kitesurf.

Preguiças - Lençóis Maranhenses (MA)

Isabel Leal

O rio maranhense é explorado através de clássicos passeios de voadeiras (lanchas baixas). Durante um dia inteiro, os veículos percorrem o rio em direção ao mar, apresentando cenários variados. A paisagem começa com um mangue altíssimo nas duas margens; para, em seguida, abrir espaço para as encantadoras dunas de areias brancas e finas. O tour faz paradas em três vilas: Vassouras, Mandacaru e Caburé - quase na foz do rio, Caburé é uma faixa de areia com praias voltadas para o rio e para o mar. Por aqui, as atividades são almoçar e passear de quadriciclo.

Pixaim - Poconé (MT)

Lucas Ninno / GCOM

Um dos mais belos rios do Pantanal, o rio Pixaim banha a lendária estrada-parque Transpantaneira. A via de terra, de 149 quilômetros de extensão, é salpicada por fazendas, pontes de madeira e pousadas rurais que oferecem passeios de barco pelo rio ao amanhecer e ao entardecer. Em ambos os horários, a emoção é garantida. Além do espetáculo do sol - nascendo ou se pondo -, que colore o céu e seu reflexo nas águas, os pássaros fazem a festa dos visitantes. São voos rasantes de tuiuiús (ave símbolo do Pantanal que pode chegar a 1,50 metro de altura), gaviões, carcarás, garças... Nas margens do rio, os jacarés também estão sempre a postos para muitas fotos!

Prata - Bonito (MS)

Rico / COMTUR

São muitos os rios de águas cristalinas que cortam a região e que são perfeitos para a prática de esportes. Entre os mais concorridos para fazer flutuação está o rio da Prata, com um trecho de dois quilômetros de descida para apreciar a flora e a fauna subaquática. Por lá, também é possível fazer um mergulho com cilindro, assim como no rio Formoso - este, é procurado ainda para rafting e boia-cross. E tem o Sucuri e o Baía Bonita, além do Peixe e do Aquidabã, que formam belas cachoeiras excelentes para banhos.

Tapajós - Alter do Chão (PA)

João Ramid

Se não fosse pela falta de ondas, o Rio Tapajós poderia ser facilmente confundido com uma praia convencional. A areia branca na margem só contribui para criar o clima de beira do mar. As praias mais famosas são Ponta do Cururu, Ponta do Muretá, Pindobal e Ponta das Pedras, mas a preferida é a Ilha do Amor, considerada o Caribe brasileiro por causa de suas águas cristalinas. Nos bares da região, a cervejinha gelada e os petiscos à base de peixes reforçam o ambiente praiano, apesar da distância do litoral.

+ Especiais do Brasil
+ Ideias de Viagens
Copyright 2000-2017 Férias Brasil© Todos os direitos reservados.
instagram
twitter