Ilha Fiscal - Rio de Janeiro (RJ)

Pedro Kirillos

O palacete da ilha ficou famoso por sediar o último baile do Império, em novembro de 1889, que começou cheio de requinte e terminou com inúmeras fofocas. Mas o que mais chama a atenção é a própria construção: um pequeno castelo verde, em estilo neogótico, em uma ilhota na baía de Guanabara. Aberto para visitação, o espaço exibe uma bonita vista do Centro da cidade. Do lado de dentro, o destaque é o torreão, ornamentado com pinturas nas paredes e na abóbada, piso com mosaico em madeiras nobres brasileiras e vitrais. O passeio dura 1h40 e o acesso, que vale como uma atração, é de escuna. As embarcações partem do Espaço Cultural da Marinha.

Palácio dos Leões - São Luís (MA)

Governo do Maranhão

Quando foi erguida pelos franceses, em 1612, a construção foi batizada de Fortaleza de São Luís e ainda guarda resquícios do período. Tomada pelos portugueses, foi transformada em um palácio neoclássico com salões que mantêm decoração original e exibem mobiliário, obras de arte e gravuras dos séculos 18 e 19, além de quadros que vieram da coleção particular do escritor maranhense Arthur de Azevedo. A parte externa, com jardins, espelhos d'água e esculturas, chama a atenção de quem passa pelo Setor Histórico e convida a uma visita. Sede do governo do Estado, os tours guiados e gratuitos acontecem em algumas partes do edifício.

Palácio da Liberdade - Belo Horizonte (MG)

Acervo Setur MG

Antiga sede do Governo do Estado e um dos principais cartões-postais da capital, o palácio que serviu de residência de governadores mineiros é aberto ao público e cheio de tecnologias. A exposição permanente "Palácio da Liberdade: Memórias e Histórias", abrange 30 cômodos com atrações high tech - o rosto de Olegário Maciel aparece no espelho do banheiro onde ele morreu de um ataque cardíaco; já o piano do salão de música toca uma marchinha feita para Benedito Valadares. O tour apresenta ainda detalhes do luxuoso projeto, que teve material importado da Europa: ferros da Bélgica, telhas de Marselha e mármore de Carrara. Destaque para a escadaria metálica em estilo art nouveau, em ferro batido e com motivos florais.

Palácio Avenida - Curitiba (PR)

Jaelson Lucas

Ao longo do ano, a construção do início dos anos 30 e idealizada por um comerciante sírio-libanês, chama a atenção pela fachada que dobra a esquina das ruas Quinze de Novembro e Oliveira Belo. Mas é em dezembro que o Palácio Avenida vira manchete de jornal! Desde o início dos anos 90, o prédio, que hoje é divido entre uma agência bancária e um espaço cultural, ganha as luzes e as cores do Natal Encantado. A decoração, lindíssima, ganha vida com um coral de crianças que canta através das janelas e grupos de teatro e circo que se apresentam na fachada, nos finais de semana pré-natalinos.

Palácio de Cristal - Petrópolis (RJ)

Alexandre Peixoto

O palácio - uma estrutura transparente sustentada por armações de metal e construído na França - foi um presente do Conde D´Eu para a Princesa Isabel. Inaugurado em 1884, era local de exposições de pássaros e produtos agrícolas. Em abril de 1888, com a presença da princesa, uma bela festa marcou a libertação dos últimos escravos de Petrópolis. Reformado em 1998, o palácio ainda mantém a estrutura e os pisos originais e, hoje, além de cartão-postal, é cenário para eventos, exposições e apresentações de danças folclóricas alemãs.

Palacete das Artes - Salvador (BA)

Lazaro Menezes

A mansão onde funciona o Palacete das Artes Rodin Bahia, no bairro da Graça, pertenceu ao comendador português Bernardo Martins Catharino. Inaugurado em 1912, o palacete beneficiou os belos jardins, hoje ornamentados com quatro esculturas em bronze de Auguste Rodin (de 2009 a 2012, o palácio abrigou 62 peças em gesso do artista). No interior, o palacete exibe pinturas, forros do teto em painéis, vitrais, pisos em parquet, mármores e ladrilhos hidráulicos, além de um elevador francês da época da construção. Tombado em 1982, o casarão ganhou um anexo de traços arquitetônicos modernos, cenário de exposições temporárias, além de um descolado café-bar. Belíssima mistura!

Palácio São Miguel - Fernando de Noronha (PE)

Antonio Melcop

Inaugurado em 1948, o casarão possui móveis de meados do século e duas telas ornamentais de grande porte, obras do pintor pernambucano Wash Rodrigues, levado a Noronha exatamente para executar esse trabalho. Há também um vitral, com a imagem do arcanjo São Miguel, em tamanho natural, feito pela vitralista Aurora Lima, discípula do artista alemão Henri Moser. Das escadarias e das varandas do palácio, aprecia-se parte da vila, a igreja e o forte dos Remédios, além do mar da praia do Cachorro.

Palácio Cruz e Souza - Florianópolis (SC)

Marcio Henrique Martins

O casarão do século 18, que mistura os estilos neoclássico e barroco, abriga o Museu Histórico de Santa Catarina. Antiga sede do Governo, o interior majestoso exibe balcões em mármore de Carrara, balaustradas, trabalhos em marchetaria com influência portuguesa, vitrais em estilo art nouveau, mobília de época e obras de arte adquiridas pelos ex-governantes. Entre os espaços mais concorridos estão as salas de reuniões parlamentares, a sala de jantar, o salão de festas e o belíssimo lavabo.

Palácio Boa Vista - Campos do Jordão (SP)

Michel Schincariol

O casarão remete a um palácio medieval em estilo inglês e é a residência oficial de inverno do Governador de São Paulo. A visita guiada, perfeita para admiradores de artes, é paga e dura cerca de 30 minutos, contemplando obras de modernistas como Tarsila do Amaral, Portinari, Di Cavalcanti e Brecheret, além de mobiliário barroco e imagens sacras. Quando não há hóspedes, o tour segue até a ala residencial do palácio.

+ Especiais do Brasil
+ Ideias de Viagens
Copyright 2000-2017 Férias Brasil© Todos os direitos reservados.
instagram
twitter