• Cores e bonecos, elementos típicos da festa Cores e bonecos, elementos típicos da festa
    Enviada por Deborah Ghelman - Setur PE
  • Galo da Madrugada - cores e muita alegria Galo da Madrugada - cores e muita alegria
    Enviada por Sol Pulquério/Divulgação
  • Na ponte velha de Recife.- Carnaval 2011 Na ponte velha de Recife.- Carnaval 2011
    Enviada por regina
  • Desfile de bonecos gigantes reúne foliões de todas as idades em Olinda Desfile de bonecos gigantes reúne foliões de todas as idades em Olinda
    Enviada por Thiago Neves (Empetur)
Por Editoria Férias Brasil Marcado pela animação dos ritmos pernambucanos, o Carnaval na região dá sinais de vida algumas semanas antes da data oficial. Na capital, trios ao som de frevo arrastam foliões pela praia de Boa Viagem. Já em Olinda, o desfile do bloco das Virgens do Bairro Novo avisa que a festa já começou.

A multidão se reúne de verdade no manhã do sábado de Carnaval, com o tradicional e gigantesco bloco do Galo da Madrugada. O desfile pelas ruas do Centro de Recife é acompanhado por mais de um milhão de pessoas. Até a Quarta-Feira de Cinzas, é Momo quem comanda os agitos que se espalham pelo Pátio de São Pedro, Marco Zero, Praça do Arsenal da Marinha, Avenida Guararapes... cenários para apresentações de artistas, orquestras e bandas locais consagradas.

Já o cais da rua da Alfândega, às margens do Rio Capibaribe, é o palco do inusitado Festival Rec Beat, que há mais de dez anos promove um encontro da música tradicional com as novas tendências, além de reunir irreverentes blocos. O clima descontraído e com ares circenses ganha ainda o colorido das fantasias dos jovens foliões. Outro evento emocionante do Carnaval recifense é a “Noite dos Tambores Silenciosos”, realizada na virada de domingo para segunda-feira, no Pátio do Terço (Recife Antigo). O ritual, que mistura a tradição do candomblé com os maracatus, é uma homenagem aos escravos. Na ocasião, as luzes são apagadas e um babalorixá preside o ritual com orações e cântigos a xangô, acompanhado por batidas de tambores, dançarinos e figuras religiosas.

Já Olinda se transforma em um grande baile a céu aberto ao som de orquestras de pau-e-corda, maracatu, caboclinho, ciranda e coco-de-roda, reunindo pierrôs, colombinas e, claro, os bonecos gigantes, que desfilam pelas ladeiras da cidade. O ponto de encontro dos blocos – os mais concorridos são Elefante e Pitombeira dos Quatro Cantos – é na esquina conhecida como Quatro Cantos, entre as ruas Prudente de Moraes, do Amparo, Bernardo Vieira de Melo e Ladeira da Misericórdia. A festa termina na quarta-feira com o tradicional desfile do Bacalhau do Batata.

O melhor da folia do Recife e de Olinda é que todos os eventos são gratuitos. Não é preciso comprar abadás ou fantasias para participar da democrática festa. Basta alegria e muita disposição!

Mais informações e atrações do Recife e Olinda

Copyright 2000-2020 Férias Brasil©