Dicas de Viajantes

Vista geral - Arranha-céus chamam a tenção na paisagem plana
Guia da Cidade Hotéis e Pousadas Aluguel por Temporada Envie sua dica
Filtrar por categoria
Em destaque
Mais recentes

"Cachoeira do Véu da Noiva"

oficinadabolsa2@gmail.com

Enviada por oficinadabolsa2@gmail.com

Foi com amigos em 2016 e achou Excelente!

Cachoeira do Véu da Noiva
Cachoeira do Véu da Noiva Enviada por oficinadabolsa2@gmail.com
Lugar exuberante de rara beleza, com clima bastante quente, porém dispensa qualquer sacrificio uma vez que após vislumbrar as belezas naturais do local , que encanta, principalmente, quando nos deparamos das belezas do local, além da cachoeira do véu da noiva, que impressiona com a sua beleza, contamos também pássaros lindos como presenciamos naquele momento araras lindas e outros mais vale apena estive lá em meados de dezembro 2016, uma boa viagem.

"Cidade muito Quente!!!"

Rachel

Enviada por Rachel

Foi a dois em 2014 e achou Muito bom

Arena Pantanal
Arena Pantanal Enviada por Rachel
Passei 2 dias em Cuiabá e gostei da cidade. Apesar de estar com as principais vias em obras e o aeroporto também por conta da Copa foi possível conhecer bem. Muito quente, sai de Campinas com um frio danado e chegamos lá com uma temperatura de 30 graus às 9:00 da manhã. Andar por muito tempo cansa bastante embaixo daquele sol forte!!

Tem um comércio bom, praças bonitas e prédios antigos bem legais para quem gostar de apreciar arquitetura. Tivemos a oportunidade de assistir a estréia do 1º jogo na Arena Pantanal agora um outro ponto turístico a ser visitado.

"Viagem à capital mato-grossense"

Débora

Enviada por Débora

Foi a dois em 2012 e achou Bom

Fizemos uma viagem, no período de 20 a 27 de maio de 2012, à capital mato-grossense, Cuiabá- Centro Geodésico da América do Sul e porta de entrada da Amazônia e do Pantanal. O objetivo dessa viagem foi a de levar em nosso veículo as peças da artista plástica de nossa cidade FÁTIMA CORRÊA, convidada para expor o seu trabalho ? Exposição Arte e Atitude - na Galeria de Artes do jornal A Gazeta, que fica no Centro Político Administrativo (CPA).

Saímos de Araguari dia 20/05, pernoitamos em Rondonópolis e chegamos a Cuiabá dia 21/05. Fácil acesso rodoviário visto que as rodovias são asfaltadas. Assim, aproveitamos a ocasião em que pudemos colaborar na organização da exposição das obras da artista, para também conhecer um pouco da cidade, seus encantos e desencantos. Cuiabá é o único território no mundo a abrigar três biomas: Amazônia, Pantanal e Cerrado. O fuso horário local é contado 1 hora a menos do que o horário oficial de Brasília. Experimentamos um pouco da culinária mato-grossense, principalmente os pratos à base de peixes; o famoso pacu assado e costela de pacu frita (ventrecha), o piraputanga recheado com farofa de couve, tomamos pó de guaraná. Visitamos alguns dos pontos turísticos da cidade como o Centro Histórico, conhecendo os antigos casarões, os famosos calçadões, construções antigas em péssimo estado de conservação, calçadas e praças esburacadas, monumentos com mau cheiro.

Um dos pontos turísticos que consta no livro de rota turística da região nem tivemos o prazer ou desprazer de conhecer (Beco do Candeeiro), pois logo que pedimos informação como chegar lá, disseram que é lugar de drogados e traficantes, pra não irmos; triste verdade do mundo de hoje. Museu Histórico de Mato Grosso com seu rico acervo, destacando-se as pinturas de Moacir de Freitas; Museu do Rio onde fica o tradicional Restaurante Regionalíssimo; Aquário Municipal, boa opção para quem quer conhecer os peixes do Pantanal; não se assustem com o péssimo estado de conservação do aquário, que até vidro quebrado tinha, peixe que logo percebi que estava com algum problema no olho esquerdo, mofo e rachaduras pelas paredes. Casa do Artesão, um casarão de 1910 dividido em salas que tem uma bela mostra da cultura mato-grossense, sendo que em cada ambiente uma temática- de tecelagem a licores caseiros; uma exploração ao turista, tudo muito caro, tinha rede de mais de mil reais, um absurdo. Museu do Artesanato com exposição permanente de peças caboclas e indígenas; SESC- um dos espaços culturais da cidade, onde acontece o projeto bulixo às 5as. Feiras, mostrando o artesanato e comidas típicas e deliciosas. Fomos à Igreja da Matriz - Catedral Basílica do Senhor Bom Jesus, maior templo católico da cidade.

Estivemos em algumas praças apreciando a arquitetura dos prédios, destaque para as Praças da República e Alencastro. Visitamos dois shoppings (Pantanal e 3 Américas). Kkkkkk.... Fomos visitar Poconé, localizada a 100 km da capital, porta de entrada para o Pantanal. Pela estrada Parque Transpantaneira, onde se concentra um valioso patrimônio natural do nosso Brasil, pudemos apreciar várias espécies de aves (destaque para os tuiuiús, a ave símbolo do Pantanal), jacarés, capivaras, dentre outros. Tanta beleza natural, em contínuo movimento de formas, cores e sons, que fazem da fauna e flora do Pantanal um dos mágicos espetáculos da região, um lindo pica-pau nos seguiu por todo trajeto, tanto na ida como na vinda, mais parecia um guardião de Deus. Lá sentimos paz, harmonia, sentimos Deus a nos acompanhar, ficamos felizes. A cidade conta com uma diversificada rede de hotéis (Paiguás, Taiaman, Odara, etc). O clima é muito quente. Ficamos hospedadas no Amazon Palace (diária R$ 190,00) e Skala (diária R$ 140,00). Estivemos rapidamente no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, que fica localizado a 60 km de Cuiabá. Pudemos observar a beleza da paisagem caracterizada por gigantescas esculturas de pedras, mirantes naturais proporcionando vistas belas em meio a cânions de arenito, porém devido à dificuldade de hospedagem nas pousadas locais (algumas por falta de estrutura, outras por elevados preços de diárias), tivemos que voltar para Cuiabá até o nosso retorno no dia seguinte para Minas, lamentando muito não ter conhecido a Chapada dos Guimarães, principalmente a Cachoeira do Véu de Noiva, com 86m de queda.

Na Pousada Penhasco se tem uma vista maravilhosa que dá vontade de sentar naquela grama verdinha e ficar ali por horas a receber toda energia que vem de Deus. Sim, de Deus, pois toda essa beleza, harmonia, paz que nos é dada, vem d?Ele. Obrigada Deus, obrigada por termos tido o prazer de estar por alguns minutos no paraíso com vocês.

"Experiencia senssacional"

EDNA CEREGATO

Enviada por EDNA CEREGATO

Foi com amigos em 2013 e achou Excelente!

Estive em Cuiabá em junho/2013 na casa de amigos, como seriam poucos dias nosso amigo levou-nos para conhecer o Pantanal pela Transpantaneira saímos as 10 hs e retornamos as 22 hs rodamos esta rodovia de cabo a rabo paramos para fotos no ria Cuiabá e voltamos. Não esqueça de levar um lanche e agua pois no caminho não existe lugar algum para comer ou beber. Apesar da correria foi ótimo o visual eh lindo.

"Uma cidade interessante!"

Edison Junior

Enviada por Edison Junior

Foi a dois em 2012 e achou Muito bom

Cuiabá, uma cidade em pleno desenvolvimento que esta explodindo de oportunidades, negócios, turismo e muito mais.

Pessoas me disseram que não ha muito o que fazer em Cuiabá, eu discordo totalmente, é uma cidade grande e que esta crescendo cada vez mais, tem muitas opções de lazer como parques, praças, shoppings, gastronomia, hotéis e pousadas para todos os bolços, compras e muito mais.

Me surpreendi com esta cidade que tem uma boa infraestrutura, muito movimentada, gente hospitaleira, educada e sabe tratar bem os que visitam e pretendo visitar mais vezes.

"Lindíssima mas verifique condições e abasteça o veículo!"

Enviada por Aline

Foi a dois em 2014 e achou Excelente!

Super recomendo um passeio pela Transpantaneira. Antes de tudo, verifique as condições da estrada de acordo com a época. É possível sim percorrer a Transpantaneira sem um veículo 4x4 e acabei de percorrê-la com um Uno, no entanto, sei que se estivesse chovendo muito isso seria impossível pois a estrada possui pontos muito difíceis ou impossíveis de se trafegar quando chove. Dica importante é abastecer o carro na entrada da estrada. No entroncamento do Sesc e da entrada da Transpantaneira há postos de combustível e depois nenhum outro até o fim da estrada. No final da estrada também não há estrutura de cidade, há um rio, um hotel onde se pode almoçar e um camping. Também recomendo levar protetor solar, muita água e algum lanche pois os poucos lugares que disponibilizam alimentação (lanches) podem estar fechados. 

Vá devagar, a velocidade máxima da estrada é de 60 km/h mas também não haveria como andar mais depressa pois haveria risco de atropelamento de animais e também para o bom estado do veículo. Algumas pousadas e hotéis ao longo da estrada também oferecem almoço, mesmo se não estiver hospedado. A estrada possui em torno de 149 km e com sorte é possível avistar diversos animais.

"Conheças as belezas do Pantanal e ainda desfrute do conforto e toda a estrutura"

Enviada por Lenda Turismo

Foi com amigos em 2009 e achou Excelente!

Barco Hotel Lenda do Pantanal
Barco Hotel Lenda do Pantanal Enviada por Lenda Turismo
O Barco Hotel Lenda do Pantanal inicia sua viagem, a partir da cidade de Cáceres (210 km de Cuiabá), no Rio Paraguai, que se caracteriza pela exuberância e diversidade da fauna pantaneira. Não é difícil, em determinadas épocas, avistar animais como Antas e Onças, nas margens dos rios. A beleza inigualável da paisagem se mostra logo na saída, a partir da cidade de Cáceres. Daí, pelo rio Paraguai, segue-se passando pela barra do rio Jauru e, depois, passando pelas locais de pesca Tucum, Barranco Vermelho, Morro Pelado, Descalvados, até a Reserva Ecológica Taiamã.

"Vida noturna para família"

Enviada por anderson tyrka

Foi com a família em 2013 e achou Muito bom

Muito interessante o esquema adotado por bares e restaurantes para o jantar em Cuiabá: boa parte deles tem uma espécie de parquinho para os pequenos, alguns até com games eletrônicos, além de uma pessoa para tomar conta. Enquanto se espera pela comida, os pais (e amigos) podem ficar tranquilos enquanto as crianças se divertem...

"Comida regional de qualidade"

Enviada por GenteSolidaria

Foi a dois em 2009 e achou Excelente!

Conhecemos Cuiabá com o guia Vitório e ele nos apresentou ao restaurante Regionalíssimo. A comida estava ótima, com gosto de comida caseira. O serviço é self-service por um preço fixo incluindo a sobremesa. Eles tem uma grande variedade de pratos e por isso tivemos a oportunidade de saborear todos os pratos típicos da região. Uma delícia!  Os doces então, que maravilha.

Sobre o Sr. Vitório,  nosso guia, não sabemos mais como elogiá-lo. Uma pessoa muito especial e agradável de se passear. Fizemos vários passeios com ele e foi inacreditávelmente gentil e profissional. Adoramos.

"Para quem gosta de decoração...Nossa!"

Enviada por Mary

Foi com a família em 2010 e achou Excelente!

Se você gosta de decoração com acessórios regionais, indígenas, rústicos, vá a esses locais. Vai ficar doida como eu fiquei! Muita coisa legal pra comprar!
Mais dicas

Envie sua dica

Copyright 2000-2019 Férias Brasil©