Gravatá

Porque Ir

No Nordeste também faz frio! Em Gravatá, no topo da Serra das Russas, a temperatura média anual gira em torno dos 22 graus - perfeita para fazer trekking rumo às cachoeiras e saborear pratos inimagináveis para a região, como fondues e massas regados a bons vinhos. O carro-chefe da gastronomia local, porém, é a buchada de bode.

Serra das Russas é perfeita para fazer trekking rumo às cachoeirasA estância é repleta de chácaras e hotéis instalados em meio ao verde, com muitas atividades de lazer para as famílias. Merecem destaque as cavalgadas, que levam a cascatas, piscinas naturais e mirantes que descortinam paisagens formadas por pontes inglesas, vales e construções históricas. 

Nos meses de junho e  julho, quando os termômetros chegam a marcar até dez graus, festas de São João e festivais culturais movimentam a região e atraem os recifenses, que encaram a serra com prazer durante o inverno.

A beleza natural de Gravatá e os animados eventos dividem a atenção ainda com o charmoso artesanato produzido na cidade. São trabalhos em cestaria, crochê e utilitários de metal, além de bonequinhas da sorte, feitas de pano e à mão, com cerca de dois centímetros. 

Móveis coloniais e rústicos em angelim, jatobá e cipó também chamam a atenção e são encontrados nas lojas na rua Duarte Coelho e às margens da BR-232.
Copyright 2000-2020 Férias Brasil©