48 horas na Ilha de Marajó (PA)

  • Bucolismo na Ponta da Praia Pesqueiro Bucolismo na Ponta da Praia Pesqueiro
    Enviada por João Ramid
  • Soure é a capital do Marajó Soure é a capital do Marajó
    Enviada por João Ramid
  • Revoada de guarás é espetáculo diário Revoada de guarás é espetáculo diário
    Enviada por João Ramid
  • Nos curtumes, peças a preços acessíveis Nos curtumes, peças a preços acessíveis
    Enviada por João Ramid
  • Ruínas de Joanes valem o passeio Ruínas de Joanes valem o passeio
    Enviada por João Ramid
  • Peixes deliciosos dominam os cardápios Peixes deliciosos dominam os cardápios
    Enviada por Divulgação Pousada dos Guarás
  • Passeio de barco é um dos atrativos da Fazenda São Jerônimo Passeio de barco é um dos atrativos da Fazenda São Jerônimo
    Enviada por João Ramid
Por Editoria Férias Brasil
A Ilha do Marajó, localizada no Estado do Pará, é a maior ilha flúvio-marítimo do planeta, com 40.100 km². De Belém, a cerca de 90 km, partem lanchas confortáveis de passageiros (saídas às 9h e retorno às 11h). Na viagem de quase duas horas, soube que um fim de semana seria muito pouco tempo para conhecer todos os encantos de Soure e Salvaterra, os dois municípios mais turísticos da ilha.

Sábado
Dia
Ao desembarcar em Soure, têm-se a sensação de que o tempo parece ser melhor percebido - búfalos trafegando calmamente, alguns montados por crianças ou policiais em tranquila ronda pelas ruas simples e planejadas da cidade. Para aproveitar as belezas das localidades, pegue uma van para conhecer o curtume, onde artesãos fazem, na sua frente, sandálias, bolsas e diversos artigos de couro. É possível acompanhar as diversas fases da produção artesanal e comprar exemplares com valores em conta para presentear no retorno.

De lá, um bom programa é conhecer a Fazenda São Jerônimo. Cenário do reality show No Limite, da TV Globo, reúne densa vegetação, manguezais, praias lindíssimas, pássaros encantadores sobrevoando, como os vermelhos guarás, que voam em bando riscando o espaço com suavidade e beleza, um espetáculo. 

Em seguida, a dica é a praia do Pesqueiro, com boa extensão de areia, coqueiros e agradáveis bares. Praia linda com banheiro ecológico para os frequentadores, desenvolvido a partir de uma parceria entre a Universidade Federal do Pará e a Associação de Mulheres da Praia do Pesqueiro - elas tomam conta do equipamento e, também, oferecem um espaço com artesanatos locais. Vale investir no pote de óleo de andiroba, um repelente eficiente e natural. 

Nos bares, as cervejas estão sempre geladas e, para petiscar, a sugestão é um delicioso filhote, o peixe amazônico de que mais gosto.

No fim da tarde, atravesse de balsa de Soure para Salvaterra, separadas pelo rio Paracauari, a viagem dura apenas cinco minutos. Por lá estão diversos hotéis e pousadas com preços acessíveis e para todos os gostos. 

Noite
Na hora do jantar, a Pousada dos Guarás oferece delícias típicas como o Filé de Búfalo com Queijo do Marajó e Macaxeira; e a especialidade da casa - o Peixe ao Guará: filé de pescada amarela com molho misto de caranguejo e camarão, arroz de jambu, mandioca frita e salada mista. 

Em seguida, o show de danças típicas locais, como o carimbó, lundu, siriá e outras, anima os visitantes. No final, tudo acaba em festa, com todos entrando na dança. 

Domingo
Manhã
Uma caminhada matinal pelas areias da bonita Praia Grande pode terminar com um passeio a cavalo marajoara (menor estatura e patas resistentes para percorrer terrenos alagados) em meio a trilhas. 

Tarde
Depois, embarque em uma van para conhecer uma localidade próxima, onde fica,m as ruínas de uma igreja erguida pelos jesuítas no século XIX. De um platô, observa-se um visual tranquilo e que revela a dimensão amazônica. Desça a rua em direção à praia de Joanes, muito aprazível e bucólica, com frondosas árvores e bares com boa comida. 

Noite
No retorno, uma visita a um espaço com cerâmicas marajoaras e depois uma parada na praça do centro de Salvaterra, aconchegante cidade, assim como Soure, com barraquinhas de comidas típicas como tacacá, doces diversos e outras guloseimas. Não deixe de provar o dulcíssimo abacaxi, já que o município é maior o maior produtor da fruta no estado.

Segunda manhã
E lá se foi o inesquecível fim de semana. Na manhã de segunda, antes de pegar a lancha para retornar a Belém, tome um café com tapioquinha, feita na hora, e um saboroso mingau de tapioca. Com certeza, você vai deixar Soure e Salvaterra, no Marajó, com a sensação de que ficou faltando conhecer e fazer muita coisa. Eu fiquei com vontade de quero mais e a certeza de que vou voltar. Vale a pena!

Fotos
João Ramid (Praia do Pesqueiro, Soure, Guarás, Curtume, Ruínas de Joanes, Passeio de barco Fazenda São Jerônimo)
Conceição Elarrat (Menina no búfalo)
Divulgação / Pousada dos Guarás (Gastronomia)

  • Paulo Faustino

    Jornalista especializado em turismo e eventos, com 36 anos de experiência

Mais informações e atrações da Ilha de Marajó

Copyright 2000-2022 Férias Brasil©