Parintins (AM)

  • Por dentro da festa - Cores e muita animação Por dentro da festa - Cores e muita animação
    Enviada por Bruno Zanardo
  • Por dentro da festa - Boi Caprichoso e Sinhazinha Por dentro da festa - Boi Caprichoso e Sinhazinha
    Enviada por Bruno Zanardo
  • Por dentro da festa - Torcidas dão um show à parte! Essa é do Caprichoco Por dentro da festa - Torcidas dão um show à parte! Essa é do Caprichoco
    Enviada por Bruno Zanardo
  • Por dentro da festa - Torcidas dão show à parte! Essa é a do Garantido Por dentro da festa - Torcidas dão show à parte! Essa é a do Garantido
    Enviada por Bruno Zanardo
  • Avenida Beira-mar é tomada de embarcações Avenida Beira-mar é tomada de embarcações
    Enviada por Divulgação Agecom
  • Por dentro da festa - Por dentro da festa -
    Enviada por Bruno Zanardo
  • Por dentro da festa - Alegorias e iluminação encantam Por dentro da festa - Alegorias e iluminação encantam
    Enviada por Bruno Zanardo
  • Festival Folclórico - Riquezas de detalhes encantam o público Festival Folclórico - Riquezas de detalhes encantam o público
    Enviada por Pavel Chernec - Embratur
  • Por dentro da festa - Bumbódromo é divido em duas cores Por dentro da festa - Bumbódromo é divido em duas cores
    Enviada por Divulgação Agecom

Porque Ir

O Festival Folclórico de Parintins dura somente três dias, no final do mês de junho. Mas durante o ano inteiro a cidade é dividida em duas cores: a vermelha, do boi Garantido; e a azul, do Caprichoso. Quando chega a festa, a rivalidade toma conta do Bumbódromo, uma arena construída especialmente para o evento. 

Banho de rio e passeio pelo Lago Macurany são programas obrigatórios
Por lá, as agremiações contam as lendas da floresta e o cotidiano dos ribeirinhos através das danças de influência indígena, ao ritmo das toadas. Cada bumbá reúne cinco mil foliões, que se apresentam para um público de mais de 17 mil pessoas por noite. 

Chegar ao concorrido festival, porém, não é tarefa fácil - com exceção para aqueles que conseguem garantir lugar nas aeronaves que partem de Manaus e chegam a Parintins em menos de uma hora e meia de voo. 

Quem vai de barco encara cerca de 18 horas de viagem - o longo percurso, porém, é o preferido dos amazonenses, que fazem da travessia uma prévia da festa, seja nos barcos de linha ou nos fretados. Não se esqueça de levar uma rede para um breve cochilo!

Uma vez na cidade, há muito que ver e fazer além do espetáculo dos bois. Entre os programas típicos estão o banho no rio Uiacurapá, o passeio pelo Lago Macurany - frequentado pelos adeptos dos esportes náuticos -, a compra de artesanato indígena e a degustação das delícias regionais, à base de peixes e frutas exóticas. 

Quem visita a região a partir de agosto, surpreende-se ainda com as praias de areias brancas e águas escuras formadas pela vazante dos rios. Já em setembro e outubro, quem faz a festa são os fãs da pesca, que se encantam com a diversidade de espécies nos rios da região.
Copyright 2000-2018 Férias Brasil© Todos os direitos reservados.