48 horas em Morro de São Paulo (BA)

48 horas em Morro de São Paulo (BA)

Por Sineia Coelho

21 de Março de 2017

Belezas naturais, esportes radicais, mergulho, praias calmas ou agitadas e baladas que começam depois da meia noite e vão até de manhã. É isso mesmo, a paradisíaca Morro de São Paulo pulsa dia e noite sem parar, com opções para todos os gostos e idades.

Passar um final de semana no local mais conhecido do arquipélago de Tinharé requer muita disposição, a começar pela viagem, que só é possível por mar ou por ar, mas esta última opção é rara, pois não tem voos regulares.  

Mas se você pensa que é só isso, está enganado. A ilha ainda tem muita história para contar, que começa lá em 1531, quando foi descoberta. Cenário de pirataria e contrabando de mercadorias, a ilha presenciou a Segunda Guerra Mundial, quando os nazistas torpedearam e naufragaram os navios Arará e Itagiba em frente à Primeira Praia.

Para conhecer tudo, ou quase tudo, dois dias são poucos. Mas aqui vou priorizar os locais imperdíveis para quem tem apenas 48 horas. A começar pela praça, com a feirinha de artesanato, restaurantes com uma rica culinária e barracas com os mais variados drinques, além dos doces que já se tornaram tradição.

Sexta à noite
Na chegada, além de conhecer tudo que tem na praça de Morro de São Paulo, é possível descobrir as delícias da boa mesa local, pois restaurante é o que mais tem até a Quinta praia. É isso mesmo, as praias são numeradas e cada uma tem uma característica bem peculiar.

A Primeira praia é onde foram construídas as casas de veraneio, próximo à entrada da vila, muito frequentada pelos moradores. É calma e própria para quem está acompanhado por crianças.  
A Segunda praia é a mais badalada tanto de dia quanto à noite, e ainda é cheia de pousadas, bares e restaurantes com música ao vivo. A Terceira praia é onde fica a concentração dos barcos que saem para os passeios ao entorno da ilha. A Quarta e Quinta praias são de uma beleza mais preservada, sem muita interferência humana e apropriadas para os casais que querem curtir momentos românticos.

Minha sugestão para o primeiro jantar em Morro é o camarão ao coco do Restaurante Café das Artes, que fica na praça mesmo, e oferece um delicioso petit gateau baiano, que leva cocada!

Sábado
Manhã
Dar um mergulho na Primeira praia é o ideal para conhecer a riqueza do ambiente marinho, que possui diversidade de peixes coloridos, recifes de corais, arraias, dentre outros. Para isso, há diversas empresas que alugam equipamentos e auxiliam os visitantes, sobretudo os "mergulhadores de primeira viagem". 

Eu sugiro a Companhia do Mergulho, que fica bem em frente à praia onde são feitas as imersões. A atividade começa com o "batismo", assim é chamada a instrução para os iniciantes.

Depois de conhecer as belezas submersas, é hora de encarar um esporte mais radical. Os corajosos sobem até o Farol - datado de 1848, em ponto estratégico para orientar as embarcações – para curtir a tirolesa que fica ao lado. Com 70 metros de altura e mais de 300 de metros de extensão, dura apenas 26 segundos de pura adrenalina, até o mergulho nas águas cristalinas da Primeira praia.

Tarde
Para compensar a manhã cheia de aventuras, a tarde é reservada para conhecer a história do local. O tour pode começar com uma visita à Fonte, construída a partir de 1746 para abastecer o povoado; e depois seguir até à Igreja Nossa Senhora da Luz, cuja construção começou em 1828, mas só ficou pronta em 1845. 

Para fechar, a Fortaleza Tapirandú, que começou a ser construída em 1630 para defender dos ataques dos holandeses e de roubo das mercadorias. O forte acabou de ser reformado e será inaugurado ainda no primeiro semestre de 2017, segundo informações da secretaria municipal de turismo.

Da fortaleza, a dica é ir direto para a Toca do Morcego para ver um dos mais belos espetáculos da natureza, que é o sol se pôr sobre o mar. O local oferece ambientes aconchegantes e também outros mais agitados, além de um saboroso cardápio.

A entrada pode ser uma porção de batata, mas esqueça as tradicionais batatas fritas que conhecemos. Deixe o pedido chegar à mesa para saber a diferença! Entre os pratos, o Trio Atlântico com polvo, camarão e peixe, faz sucesso.

Noite
Depois de se deliciar com os petiscos e com o visual, é hora de retornar à pousada e descansar, pois o sábado só termina no domingo. Depois da meia noite, todos os caminhos levam à badalada Pulsar, uma boate com festa todos os sábados, regada a banho de espuma até o sol raiar!

Domingo
Domingo não é apenas o dia de voltar para casa, ainda dá tempo para repor as energias e também "rejuvenescer" um pouco depois de tanta badalação e aventura. 

É isso mesmo, segundo os moradoras da bucólica Gamboa, que fica a aproximadamente dois quilômetros do centro de Morro de São Paulo, o paredão de argila que fica na praia de água calmas e cristalinas tem efeito esfoliante e hidratante, motivo pelo qual eles brincam que depois de se "lambuzar" dos pés à cabeça com um barro meio rosa, meio amarelado, a pessoa rejuvenesce. 

Para conhecer esse paraíso, é só pegar um barco às 10h e seguir em direção à Gamboa que, ao contrário da badalada Morro de São Paulo, oferecerá sombra, água fresca e ainda uma rede para descansar. 

O almoço de despedida da ilha pode ser por lá mesmo, pois o que não faltam ao local são bons restaurantes. E como o retorno envolve travessias de lanchas, trechos terrestres e mais barco ou ferry boat, o ideal é sair de Morro, no máximo, até às 16h. 

Fotos
Beth Feliciano (Tirolesa)
Gabriel Carvalho (Toca do Morcego, pôr do sol, mirante)
Odair Carteri (Fortaleza)
Kellen Suamy (Gamboa)
José Carlos Santana Barbosa (Piscinas naturais)


Veja também: Descobrindo Morro de São Paulo


Sineia Coelho

Jornalista especializada em Marketing, escreve para revistas, sites e jornais de Turismo desde 2005

Outras Postagens
Ver Mais Postagens
+ Ideias de Viagens
Copyright 2000-2017 Férias Brasil© Todos os direitos reservados.