48 horas em Jericoacoara (CE)

48 horas em Jericoacoara (CE)

Amar é fácil, difícil é voltar para casa - Por Flávia Lelis

26 de Janeiro de 2017

Ela não fica vazia. Nunca. A vida parece sempre pulsar de maneira irreverente em cada uma de suas tímidas seis, sete ruas. O tempo todo. 

Quando a luz do sol desperta, pessoas de tipos e dos mais variados estilos se aventuram num mar de água morna. Pontualmente às 17h45, quem dá o ar da graça é o sol. Mas essa presença se faz no mais esplendoroso pôr do sol de que se tem notícia. Apenas por esta experiência, você já poderia jurar amor eterno à Praia de Jericoacoara, a estrela maior do turismo cearense. 

Parte fundamental do município de Jijoca de Jericoacoara, a praia requer esforço para ter sua beleza contemplada, uma vez que, além das quatro horas de viagem de carro a partir da capital Fortaleza, o acesso a ela é feito somente de duas maneiras: pela estrada de dunas ou pelo bairro de Preá, preferencialmente em carros com tração 4x4. Mas não hesite, simplesmente, se jogue em algumas das melhores 48 horas da sua vida.

Sexta-feira
Para sentir que Jeri não está para brincadeira, dê o start com um almoço no Mosquito Blue, onde é possível apreciar culinária regional da melhor qualidade, a exemplo da peixada do restaurante. Como se não bastasse, você curte essa delícia com o pé na areia, admirando o mar logo ali. A sobremesa pode ser descomplicada: um gelato de cookies da Gelato & Grano. 

Depois de um soninho na rede, siga o movimento de turistas em direção à Duna Pôr do Sol. Por motivos óbvios: ali está um dos mais belos espetáculos da natureza, quando o sol encena sua despedida no horizonte do oceano, pontualmente, às 17h45. É um momento particular, com a natureza em primeiro plano. Às sextas-feiras há samba na praça, e animação em todos os outros dias lá no Beco do Forró.

Sábado
Dia
Um bom sábado em Jeri é vivido na rua. Portanto, deixe o hotel logo cedo, para desbravar as ruas desse paraíso cearense. Durante o dia, faça uma caminhada até uma das atrações mais clichês de Jeri, mas ainda assim imperdível: a Pedra Furada. 

Se você der a sorte de não encontrar com os grupos de excursões, pode andar calmamente pela areia coberta de conchinhas, reservar um tempo de silêncio num cenário deserto e apreciar o pôr do sol. 

Noite
À noite, todas as lojinhas de souvenires reluzem com opções de artesanato colorido típico, assim como, joias feitas em capim dourado e artigos de luxo em couro. Todo o comércio segue aceso até 23h, ou até o último cliente - com exceção da padaria Santo Antônio que abre apenas das 2h às 6h. Ótima parada para repor as energias após se acabar na pista de forró!

Para jantar, o restaurante Tamarindo é uma parada obrigatória, que rende sucessos como o risoto de pera e gorgonzola servido com contra-filé suculento. 

Domingo
Dia
Na face oposta à Pedra Furada, com muito mais infraestrutura, mas acessível somente com a ajuda dos guias turísticos, a Lagoa do Paraíso é uma espécie de Caribe formado com as águas da chuva. 

Com 14 quilômetros de extensão, a Lagoa é tomada de viajantes que não resistem ao prazer de curtir o sol em redes alojadas dentro da lagoa. Dali, quando os olhos ganham o horizonte, o único desejo é não voltar para casa. Dá para passar o dia inteiro ali, com as opções de restaurante e banheiros equipados. 

Noite
De volta ao centro de Jeri, presenteie-se com um menu degustação maravilhoso à luz do luar assinado pelo chef Paulo Maneira, no restaurante do Essenza Hotel. É um ponto final digno de realeza.

Fotos
Flávia Lelis
Catia Vargas - Pedra Furada
Veja também: Descobrindo Jericoacoara


Flávia Lelis

Jornalista, há sete anos vive um delicioso caso de amor com a área de turismo, que certamente dará casamento. Hoje, além de contar para o mundo sobre suas juras de amor por Jeri e Paris, também está à frente da agência L Contents e te espera para um cafezinho cheio de histórias

Outras Postagens
Ver Mais Postagens
+ Ideias de Viagens
Copyright 2000-2017 Férias Brasil© Todos os direitos reservados.