O Auto da Compadecida - Cabaceiras (PB)

A minissérie que virou filme encantou o público e lançou ao estrelato a cidadezinha no semiárido paraibano. Depois do lançamento do longa de Guel Arraes, em 2000, Cabaceiras se transformou em set para cerca de 30 filmes e documentários. A vocação para o cinema lhe rendeu o título de "Roliúde Nordestina", com direito a letreiro na entrada da cidade no melhor estilo Hollywood! Além de curtir os cenários reais como a igreja de Nossa Senhora da Conceição e a Cadeia Pública, vale visitar o cartão-postal da região, o Lajedo do Pai Mateus, um conjunto de belas formações rochosas de onde se avista um pôr do sol espetacular. Como diria Chicó, "só sei que foi assim"!

À Deriva - Arraial do Cabo (RJ)

A história do diretor Heitor Dhalia se passa em Búzios, porém, muitas das filmagens aconteceram na cidade vizinha: a pacata Arraial do Cabo. Nas cenas da adolescente interpretada por Laura Neiva, as estrelas são a areia branquinha e o mar azul cristalino da praia do Forno e da Gruta Azul - essa, acessível somente em passeios de barco. Além dos dois lindos cenários, Arraial esconde belezas também debaixo d´água! São tartarugas, peixes coloridos, arraias, golfinhos... que fazem a festa dos mergulhadores nas ilhas do Farol e dos Porcos, além dos sacos do Cherne e do Cordeiro.

Xingu - Jalapão (TO)

Embora o parque indígena fique no Mato Grosso, a maioria das cenas do filme de Cao Hamburger foram gravadas em Tocantins, graças às paisagens exóticas, selvagens e intocadas da região. Para contar a história dos irmãos Villas-Bôas, a "expedição" gravou na cachoeira da Velha, a maior do Jalapão, com 20 metros de queda e cem metros de largura, com direito a prainha de águas calmas e areias finas. Também o Rio Novo entrou no roteiro - cheio de corredeiras, é perfeito para rafting, canoagem, rapel, bóia-cross e acquaride. Para completar, o Jalapão ainda brinda os aventureiros com dunas multicoloridas para ver o pôr do sol e revoadas de araras, tucanos e papagaios.

Casa de Areia - Lençóis Maranhenses (MA)

No filme de Andrucha Waddington, de 2005, os cenários são para lá de inóspitos! Montes de dunas de areia servem de pano de fundo para as sofridas cenas entre Fernanda Montenegro, Fernanda Torres e Seu Jorge. O que o longa-metragem não mostra são as belas lagoas de águas cristalinas que pontilham na paisagem entre os meses de junho e setembro, sem contar o espetacular pôr do sol. Passeios em 4x4, barcos e caminhadas são perfeitos para explorar o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, um dos mais bonitos pontos do litoral brasileiro, perfeito para filmar ou simplesmente apreciar!

A Ostra e o Vento - Jericoacoara (CE)

O ar de isolamento que acompanha as imagens do filme de Walter Lima Jr ainda pode ser observado em Jericoacoara. A 300 quilômetros de Fortaleza - sendo 20 quilômetros em estrada de terra que exige carros com tração nas quatro rodas -, a vila tem ruas de areia e energia elétrica somente nas casas. Para compensar a "rusticidade", Jeri guarda lagoas de águas azuis, ventos perfeitos para prática de wind e kitesurf, dunas gigantes para apreciar o pôr do sol e uma espetacular formação rochosa - a Pedra Furada - usada nas gravações da personagem de Leandra Leal. E mais: pousadas charmosas, restaurantes estrelados e gente do mundo inteiro!

Ó Paí Ó - Salvador (BA)

Em 2007, o Pelourinho - fotogênico por natureza por conta de suas ladeiras, igrejas e casario colorido - virou um set de cinema por conta das gravações do filme Ó Paí Ó. No longa, a diretora Monique Gardenberg mostrou o vibrante centro histórico ora festivo, ora tenso, pontuando a alegria dos baianos com as dificuldades do povo brasileiro. Uma vez por lá, visite o Bar da Neuzão, uma das locações do filme que estão abertas para os visitantes, entre a Baixa dos Sapateiros e o Taboão. Antes, conheça a Fundação Casa de Jorge Amado, cartão-postal do Pelô, que guarda uma exposição permanente sobre a vida e obra do autor. Ó Paí Ó!

Era uma vez - Rio de Janeiro (RJ)

"Sucesso de público" entre cineastas e turistas, a Cidade Maravilhosa e seus cartões-postais sempre roubam a cena. Protagonista de primeira, o Rio de Janeiro brilha até na hora de mostrar suas mazelas, como no filme de Breno Silveira. Na trama está a favela do Cantagalo - hoje acessível por um elevador panorâmico que virou sensação e descortina linda vista da praia de Ipanema, que está na outra ponta da história. E por falar nas comunidades, por conta da pacificação, muitas viraram points da boa mesa, caso do morro do Chapéu Mangueira, no Leme; e do Vidigal, no Leblon.

+ Especiais do Brasil
+ Ideias de Viagens
Copyright 2000-2017 Férias Brasil© Todos os direitos reservados.